No Brasil, tenho a impressão que jornalistas de veículos tradicionais não se ajudam tanto quanto poderiam. “São concorrentes, Pedro, normal”, você pode dizer. Mas trabalhar em uma empresa jornalística nos EUA me fez perceber que a forma extremamente competitiva que tratamos o jornalismo não precisa ser o normal. Não hoje.…